Gerenciador Financeiro GFIL

Site Oficial do Sistema GFIL

Gerenciador Financeiro GFIL - Menu Principal

Manual de Ajuda do Sistema GFIL



Imprimir ou Gerar .pdf de todo o Manual

Atenção: as orientações abaixo só serão 100% corretas se seu GFIL estiver atualizado na última versão -> 10.12.17

GFIL - Manual de Ajuda

Tópico Nº: 130 - Título: Emissão de Manifesto de Documentos Eletrônicos - MDFe

Menu de acesso: a partir da tela principal, clique em "Documentos Eletrônicos -> MDFe -> Emissão.
Você também pode iniciar um MDFe através da tela de nota eletrônica (modelo 55), no menu "Outras opções -> Inciar MDFe da NFe Selecionada".

Descrição: Módulo para emissão de Manifesto de Documentos Fiscais Eletrônicos - MDFe.

Aviso importantíssimo: Para você iniciar a emissão dos MDFes de sua empresa há vários dados que, para serem informados corretamente, dependem do assessoramento de seu contador e/ou empresa que presta suporte técnico na área de informática de sua empresa. Por isso, sugerimos que antes de continuar a avaliar esse módulo você analise com bastante atenção o contido no tópico "Nota eletrônica no GFIL - Primeiros passos".

Antes de acessar a tela de MDFe, é preciso que você complete todos os dados de sua empresa no cadastro da empresa/filial.

Também é preciso configurar o certificado digital. Para isso, no módulo de parâmetros fiscais, acione o menu "Utilidades -> Parâmetros da Empresa/Filial -> Fiscais -> Certificado Digital". Para mais informações analise o tópico 92 do manual. Esse procedimento só é preciso fazer uma vez ou quando você mudar o certificado.
Para conferir se seu certificado foi configurado corretamente, acione a tela de NFe e verifique o menu "Diversos - Testar Conexão GFIL -> Certificado Digital".

Como a própria sigla (MDFe) já diz, esse documento é a manifestação eletrônica de outro documento, que pode ser uma NFe ou um CTe. No GFIL só está disponível a opção para manifestação de NFe, ou seja, empresas que precisam emitir CTe não poderão utilizar o GFIL para manifestar esse documento fiscal.
Você pode (e deve) buscar mais orientações sobre quando sua empresa deve emitir um MDFe. Em resumo, essa obrigatoriedade acontece quando a sua empresa for responsável pelo transporte da mercadoria, seja uma mercadoria que sua empresa vendeu a um cliente ou que comprou de fornecedor.
Para poder fazer a emissão de um MDFe pelo GFIL é preciso você tenha uma nota registrada e autorizada no módulo NFe do GFIL ou então uma compra registrada no módulo de compras e que tenha uma chave de NFe informada.

Muito bem, vamos a parte operacional desse módulo de emissão de MDFe.

O processo de inicialização de um MDFe é bastante simples. Basta você clicar no menu:

  • "MDFe -> Iniciar -> De NFes Emitidas": quando for manifestar NFe(s) que sua empresa emitiu;

  • "MDFe -> Iniciar -> De Compras": quando for manifestar NFe(s) que seu fornecedor emitiu e cuja entrada já foi feita no módulo de compras GFIL;

  • "MDFe -> Iniciar -> Avulso": quando for manifestar NFe(s) que não tenha o movimento previamente gravado no GFIL. Por exemplo: sua empresa adquire uma mercadoria de um fornecedor e fica responsável pelo transporte da mercadoria. Porém, como a mercadoria ainda não chegou, você precisa fazer o manifesto antes de registrar a compra. Nesse caso você utilizará esta opção de MDFe avulso. Será necessário ter o arquivo XML da nota enviado por seu fornecedor para iniciar o MDFe;


Assim que você clicar num desses menus, o GFIL abrirá a tela de pesquisa de notas emitidas ou de compras gravadas. Selecione o movimento para o qual você deseja iniciar o MDFe.
Após iniciado MDFe basta completar os dados. A maioria desses dados já estarão preenchidos automaticamente pelo GFIL. Faça uma revisão desses dados e altere, se necessário.



Campos

  • Forma de Emissão: se não houver orientação de sua SEFAZ em contrário, deixe sempre "1 - Normal". Há situações em que os servidores da sua SEFAZ não poderão receber os XML de seus MDFes. Nesses casos a SEFAZ concede autorização para transmissão em contigência. Quando sua SEFAZ conceder essa autorização, ela também lhe dirá qual o tipo de contigência utilizar. Nesse caso, você deve mudar esse campo colocando o tipo de contingência autorizado.
    Obs. se a autorização foi para envio em EPEC, TODOS os MDFes que foram enviados nesse formato, devem ser obrigatoriamente retransmitidos depois quando o problema lá na sua SEFAZ cessar. Para isso, basta você selecionar o MDFe enviado anteriormente em EPEC e clicar no botão "Finalizar..." que o GFIL iniciará a retransmissão.
    Veja mais detalhes sobre contingência no tópico 150 do manual do GFIL;

  • Informações Adicionais: se houver alguma informação que precise ser impressa no rodapé do Damdfe, registre nesse campo. Veja com sua contabilidade o que a legislação obriga a registrar nesse campo;

  • UF de Carregamento: informe o estado INICIAL onde a mercadoria será carregada;

  • UF de Descarregamento: informe o estado FINAL onde a mercadoria será descarregada;

  • Grupo de campos "Notas Objeto do Manifesto": quando você inicia um MDFe, o GFIL já alimenta esse grupo com a chave da nota que você selecionou. Porém, pode haver casos, onde você queira registrar mais de uma nota no mesmo MDFe. Se isso ocorrer, basta clicar com o botão direito do mouse sobre esse grid e depois em "Incluir NFe".
    O campo "código mun. de descarregamento da NFe" desse grupo deve ser informado individualmente para cada uma das notas do MDFe.
    Obs.: veja com sua contabilidade quando é possível (ou obrigatório) incluir várias notas no mesmo MDFe;

  • Município de Carregamento: informe o código do IBGE e nome da cidade onde a mercadoria será carregada.
    Obs.: quando você iniciar o MDFe, o GFIL alimentará esse campo com a cidade da sua empresa. Se sua empresa está em um município, mas o carregamento (depósito) é em outra, altere esse campo;

  • UFs do Percurso: informe os estados por onde o veículo de transporte vai passar. Para incluir e/ou excluir uma UF nessa lista, basta clicar com o botão direito do mouse sobre o grid.
    Obs.: não devem ser informados as UFs de carregamento e descarregamento;

  • Grupo de campos "Dados de Transporte": praticamente todos os campos desse grupo são autoexplicativos. Algumas observações sobre esses dados:

    • Ao iniciar um MDFe, se o campo "Padrão para MDFe" estiver habilitado em um cadastro de uma transportadora, o GFIL já alimentará todos os campos deste grupo;

    • Caso queira alterar a transportadora vinculada ao MDFe, clique no botão "Buscar Transportadora" que está na parte superior desse grupo;

    • Se os veículos de transporte NÃO pertencerem a sua empresa, marque o item "Veículos de transporte são de propriedade de TERCEIROS" e também informe os proprietários clicando no botão "Proprietário" que está nesse grupo;



Menus
Também são todos autoexplicativos, exceto pelo "MDFe -> Encerramento (Encerra MDFe Selec.)". Converse com sua assessoria fiscal para lhe orientar mais detalhatamente quando e quem deve fazer o encerramento de um MDFe. Mas, em regra geral, todo MDFe deve ser encerrado após a última entrega (descarregamento) da nota ter sido efetivado. Se você for o responsável por esse encerramento, selecione o MDFe na tela e acione esse menu para registrar o encerramento do MDFe.



Botões

  • Gerar e Transmitir MDFe: após informados todos os dados do MDFe, clique nesse botão. É a partir daí que se inicia o processo de geração do arquivo XML e a transmissão do mesmo para o servidor da sua SEFAZ. Antes de iniciar o envio, confira atentamente e só prossiga com a transmissão se você tiver absoluta certeza de que esses dados estão corretos. Se for o caso, solicite auxílio ao contador da sua empresa;

  • Finalizar (MDFe Iniciado e não Transmitido): há situações em que você vai iniciar um MDFe, mas, por algum motivo não o transmitirá no mesmo momento. Sempre que você iniciar um MDFe e fechar a tela sem tê-lo transmitido, deverá retornar para completar os dados e transmiti-lo em definitivo. Selecione o MDFe na lista da tela inicial do módulo e clique nesse botão para concluí-lo.
    Observação: o GFIL permite que todos os passos de uma MDFe, inclusive a transmissão sejam feitos tanto no servidor, como em estações de rede local, porém os arquivos XML que o GFIL gerará serão gravados sempre em uma única máquina, o servidor GFIL. Por isso, solicite ao seu técnico que compartilhe a pasta onde o GFIL está instalado (que por padrão é C:\SistemaGFIL\) no servidor GFIL.



Outros tópicos/dúvidas sobre documentos eletrônicos no do GFIL



Ajude-nos a melhorar esta ajuda. Envie crí­ticas e sugestões para sugestoes@sistemagfil.com.br.